A ocupação de Brasília e a Greve Geral

05/06/2017 16:13

Ocupa Brasília

A ocupação de Brasília convocada pelas centrais sindicais foi prontamente atendida por trabalhadores de todo o país. Foram caravanas e caravanas de todo o país que se concentraram no estádio Mané Garrincha e depois marcharam com destino ao Congresso Nacional, gritando as palavras de ordem contra as reformas da previdência e trabalhista e Fora Temer! Mais de 200 mil trabalhadores e jovens ocuparam Brasília pacificamente para demonstrar a insatisfação com o governo de Michel Temer. Porém, antes mesmo de chegarem ao local previsto foram brutalmente reprimidos pelos policiais do pelotão de choque.

Enquanto a cavalaria avançava pra cima dos manifestantes, os soldados atiravam com balas de borracha e os helicópteros jogavam granadas de gás lacrimogêneo.

Ninguém esperava tamanha repressão e mal dava tempo de correr devido ao efeito do gás. Muitos saíram feridos sendo que um jovem teve a mão decepada por uma granada de efeito retardado, que demora para explodir. Ao pensar que era apenas uma bomba de gás lacrimogêneo, o jovem a pegou e ia arremessar contra os soldados quando ela explodiu em sua mão. Um cidadão aposentado levou um tiro com bala letal que atingiu sua face e está internado em coma.

Pelo visto, a polícia estava preparada até mesmo para matar os manifestantes caso fosse necessário, uma vez que portavam armas com munição letal. Além disso, as granadas de efeito retardado, identificadas como de origem israelense, são utilizadas com o objetivo de mutilar trabalhadores que estão lutando em defesa de seus direitos.

As cenas da truculência da polícia está nas redes sociais e atravessou fronteiras. Como se isso não bastasse, o governo Temer baixou um decreto ordenando o toque de recolher e convocando as forças armadas para ocuparem as ruas onde houvesse necessidade. Essa decisão serviu para que vários setores da sociedade criticassem duramente o governo golpista, fazendo com que o mesmo revogasse o próprio decreto.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) entrou com um pedido de impeachment contra o Temer. Já é o décimo segundo pedido de impeachment contra Temer. Pelo que podemos ver até agora o governo golpista está derrotado, mas a burguesia faz de tudo para ampliar a sobrevida do mesmo, para que faça todo o “serviço sujo” que são os ataques aos direitos e conquistas dos trabalhadores.

Greve Geral

Após a ocupação de Brasília as centrais sindicais voltaram a se reunir e, com certa demora, marcaram a próxima greve geral para o dia 30 (trinta) de junho. Para nós da Liga Socialista, como também para muitos trabalhadores, essa segunda greve geral deveria ser maior que a primeira, sendo pelo menos de 72 (setenta e duas) horas. Mas, não estamos convivendo no cerne da discussão entre as centrais e também não temos a avaliação dessas. Nesse caso, devemos voltar para a construção dessa nova greve geral, para que ela não perca a qualidade e intensidade da anterior. Pelo contrário, ela tem que ser mais volumosa, para mostrar à burguesia e ao governo Temer que a classe trabalhadora continua disposta a lutar contra a perda de direitos e para derrotar esse governo golpista de uma vez por todas.

A greve geral por tempo indeterminado é urgente e necessária. Para construí-la devemos aproveitar os preparos dessa nova greve geral e construir grupos de resistência nas fábricas, bancos, escolas e faculdades. Somente assim conseguiremos deflagrar uma forte greve geral por tempo indeterminado, que levará à queda do governo golpista e garantirá a manutenção dos direitos e conquistas da classe trabalhadora.

  • Nenhum direito a menos!
  • Contra as reformas da previdência e trabalhista!
  • Fora Temer!

 

 

 

Péricles de Lima