28 de abril: GREVE GERAL!

09/04/2017 15:37

As mobilizações dos dias 8, 15 e 31 de março foram importantes para colocar a classe trabalhadora na luta contra os ataques do governo golpista de Michel Temer. Mesmo assim, o governo conseguiu aprovar no congresso nacional o Projeto de Lei Nº 4302 de 1998 que estava engavetado na Câmara dos Deputados e que permite a terceirização generalizada, tanto para atividades meio quanto para atividades fins. Esse projeto de lei foi aprovado por 231 votos a favor e 188 contra e com 8 abstenções.

Os números dessa votação, apesar da derrota que sofremos, acendeu a luz vermelha para o governo golpista que obteve 54,1% dos votos, deixando claro que dificilmente o governo golpista teria novamente os votos necessários para aprovar a PEC da reforma da Previdência, que necessita de 2/3 dos votos da Câmara e do Senado.

A partir desse momento, em que a classe trabalhadora entra na luta, Temer vê sua base aliada se despencar, como ratos fugindo do navio que está afundando. Por sua vez o próprio Temer se vê obrigado a recuar em sua proposta de reforma da Previdência, procurando atender a alguns setores da classe trabalhadora como professores e mulheres, pois atender somente aos militares não irá garantir a aprovação da mesma.

Muitos deputados, sentindo a pressão da bases, estão fazendo emendas ao texto original, o que não atende à classe trabalhadora, mas serve para nos dar um tempo maior para organização e mobilização. Como disse o presidente da CUT, “Não basta recuar, tem que derrubar”.

Mas o governo golpista aproveita desse momento de concentração de esforços para barrar a reforma da Previdência para tentar passar de forma despercebida a Reforma Trabalhista (PL 6787/16), assim como fez com o PL da Terceirização.

As centrais sindicais unificadas em uma tática de frente única estão convocando uma GREVE GERAL para o dia 28 de abril. Esse dia de greve será importante no sentido de auferirmos a preparação da classe trabalhadora para uma luta maior, uma GREVE GERAL por tempo indeterminado.

Mas, antes disso, temos mais uma luta muito importante. A CUT (Central Única dos Trabalhadores) já alerta toda a classe trabalhadora para a necessidade de mais uma grande mobilização no dia 18/04, pois a Câmara dos Deputados (maioria golpista) resolveu acelerar o processo da Reforma Trabalhista para que o PL 6787/16 seja votado no dia 19/04.

Nossa tarefa imediata e urgente é ocupar as ruas do país no dia 18/04 e barrar mais esse ataque aos nossos direitos. Com certeza, a luta do dia 18 será mais uma demonstração de força e irá nos mostrar como está o trabalho de preparação para a GREVE GERAL do dia 28.

Nós, da classe trabalhadora, só temos uma saída, ganhar as ruas do país e parar a produção. Também precisamos ter a clareza que somente uma GREVE GERAL por tempo indeterminado pode nos levar a uma vitória sobre os golpistas.

A seguir, reproduzimos o calendário de construção da Greve Geral apresentado pela CUT:

Dia 18 de abril – Realizar atos e ações em seus estados contra a votação da Reforma Trabalhista na Câmara (que depois ainda terá que passar pelo Senado), prevista para o dia 19 de abril;

Até o dia 19 de abril – Continuar a busca aos deputados em suas bases eleitorais, nos aeroportos, em suas cidades e aonde quer que eles possam ser encontrados. A pressão deve ser total para que votem contra a Reforma Trabalhista.

Dia 19 de Abril – Votação da Reforma Trabalhista em Brasília. É importante que Estados e Ramos possam enviar apoiadores para se juntar às mobilizações que a CUT-DF fará no entorno da Capital Federal.

Dia 28 de abril – VAMOS PARAR O BRASIL – Greve Geral – Estados e Ramos deverão organizar suas bases para a Greve Geral. As cidades paradas e vazias denunciarão, repudiarão e condenarão o desmonte da Previdência e da legislação trabalhista.

O Brasil e seus trabalhadores e trabalhadoras de braços cruzados será nosso melhor recado para a quadrilha golpista que tomou o poder no país. A luta continua, sem tréguas!

  • NÃO À REFORMA TRABALHISTA

  • NÃO À REFORMA DA PREVIDÊNCIA

  • NENHUM DIREITO A MENOS!

  • FORA TEMER!

 

 

Péricles de Lima