Avançar na luta!

22/03/2016 22:34

Desde a reeleição de Dilma vimos uma multidão ocupando as ruas do país em protesto contra a corrupção em um movimento convocado pela mídia golpista e com a participação de parte do aparelho repressivo do estado (Poder Judiciário e Polícia Federal) e também da FIESP e seus empresários.

No dia 18/03, a classe trabalhadora convocada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo, das quais participam a CUT, CTB, MST e MTST, ocupou as ruas do país em resposta ao movimento golpista de caráter reacionário e fascista.

A mídia golpista tentou desqualificar o movimento da classe trabalhadora, reafirmando a todo momento que essas manifestações foram menores que as de domingo, organizadas e convocadas por ela juntamente com a FIESP.

Para nós, o importante é que a classe trabalhadora indignada com os ataques desferidos pela mídia golpista e pelo Poder Judiciário, principalmente contra Lula, foi às ruas em todo o país. Foi uma resposta clara aos golpistas, dando demonstração de força, unidade e disposição de luta, que deve passar inclusive por uma greve geral.

A resposta está dada, mas não é tudo. Precisamos manter a unidade e mobilização para os enfrentamentos que virão. Além disso, precisamos aproveitar esse momento para fazermos uma avaliação conjuntural, destacando a necessidade e a importância para a classe trabalhadora, da construção de um novo campo político com a perspectiva revolucionária. Para isso, essa discussão tem que ser aberta nas plenárias de base que organizam essa luta.

Esse debate fraterno passa pela avaliação do mal que nos trouxeram as alianças com partidos da burguesia. Foram essas alianças que trouxeram o financiamento de campanha pelas grandes empresas e bancos e em seu bojo a corrupção. Isso manchou o nome do maior partido operário do nosso país, além de crucificar lideranças históricas desse partido que foram processadas e até condenadas a prisão.

Temos que saber aproveitar as lições que essa experiência nos trouxe e, juntamente com a indignação e mobilização da classe trabalhadora e suas principais lideranças, dar um passo à frente na construção desse novo campo político, para que possamos avançar na luta por uma sociedade justa, sem exploradores e explorados, uma sociedade verdadeiramente democrática, uma sociedade socialista. 

  • EM DEFESA DO EMPREGO E DOS DIREITOS DOS TRABALHADORES!

  • CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA!    

  • NÃO AO AJUSTE FISCAL!   

  • EM DEFESA DA PETROBRAS!

  • MOBILIZAÇÃO PERMANENTE CONTRA O GOLPE!         

  • PREPARAR A GREVE GERAL!

  • TODOS EM BRASÍLIA NO DIA 31 DE MARÇO.

 

NÃO VAI TER GOLPE. VAI TER LUTA!