Liberdade, paz e socialismo para a Palestina! Viva a Solidariedade Internacional!

25/10/2017 19:15

Revolução, Alemanha Thu, 12/10/2017 - 07:54                                      -                                             

 

Em agosto de 2017, os delegados da REVOLUTION Germany foram convidados para o acampamento juvenil da "União Independente da Juventude" na Palestina. Abaixo, publicamos a declaração dos camaradas dirigidos à reunião em inglês e árabe.

Seja nos portões de Al Haram al Sharif, nas praças da primavera árabe ou nas ruas protestando contra a cúpula do G20 na Alemanha, os jovens estão sempre presentes na linha de frente da luta contra a crise, a guerra, a ocupação e opressão. Para levar sua resistência à frente, a juventude em todo o mundo precisa de uma nova Internacional da Juventude que una sua luta com um programa revolucionário contra a exploração capitalista, que é a raiz da crise, da guerra, da pobreza, do racismo e do sexismo.

REVOLUTION é uma organização internacional da juventude comunista, presente e ativa na Alemanha e na Áustria, com um compromisso político em combater a exploração e a discriminação. Como o capitalismo é um sistema universalmente explorador, a REVOLUTION é solidária com todas as lutas progressivas da juventude e dos trabalhadores em todo o mundo.

No dia 27 de julho deste ano, mais de 100 mil pessoas em Jerusalém e Palestina ocupada, entre as quais a maioria eram jovens, partiram para as ruas para protestar contra a agressão e as políticas das forças de ocupação israelenses. Sua resistência foi uma resposta acentuada à expulsão e colonização em curso do povo palestino! A defesa de Haram al Sharif e a luta pelo acesso sem barreiras à segurança não é apenas uma questão de liberdade de prática religiosa, mas vai muito além daquela, a uma luta historicamente enraizada contra as tentativas e políticas sempre mais nítidas do Estado sionista para apagar a presença de Palestinos, o povo nativo da terra. Nossa plena solidariedade, portanto, é para a juventude palestina, cuja resistência mais uma vez provou sua coragem de se opor à repressão e expulsão promovida pelo Estado sionista de Israel.

A classe dominante burguesa alemã e seu aparelho de segurança dedicam todas as suas agências, incluindo a Polícia e a mídia de propriedade burguesa, a apertar e a demonizar as organizações socialistas de esquerda, a difamar os ativistas da solidariedade da Palestina e oprimir os anti-imperialistas das nossas organizações.  Mobilizações anticapitalistas, mais recentemente, nossos protestos legítimos contra a Cúpula do G20 em Hamburgo, que foi atingida por brutal violência policial, gás lacrimogêneo, canhões de água, perfil de segurança e outras ferramentas de repressão. Seja em Hamburgo ou em Jerusalém, quando a injustiça se torna uma lei divina, a resistência se torna uma obrigação pela qual nos defrontamos com todas as formas de repressão impostas às nossas lutas e exigimos a libertação imediata de todos os camaradas e amigos presos na Palestina, na Alemanha e em outros lugares.

Enquanto o Estado alemão era historicamente cúmplice na ocupação da Palestina, hoje, este estado imperialista entrega armas, armas e apoio político incondicional ao Estado sionista de Israel, a fim de obter vantagens geoestratégicas no "Oriente Médio". Esta é uma das razões pelas quais, para nós, a solidariedade com a luta palestina pela liberdade começa aqui, lutando contra a política externa do Estado alemão e continuando paralelamente a luta palestina em nossas ruas. Nossa resistência contra a capital alemã é indivisível da luta palestina pela liberdade, uma vez que essa luta também é dirigida contra os interesses dos capitalistas alemães.

O Estado alemão, a polícia alemã e várias forças de direita tentam constantemente nos impedir, mas nossa solidariedade é inquebrável! Nossa solidariedade com a luta palestina é incondicional e deriva do direito de todos os palestinos à autodeterminação nacional. No entanto, achamos essencial criticar a liderança de certos movimentos palestinos que, da nossa perspectiva, não conseguiram orientar a luta na direção necessária, para o fim da ocupação sionista. Nós vemos a antiga liderança corrupta dentro da Palestina como colaboradores e aliados leais do Estado israelense e dos imperialistas, em vez de combatentes da liberdade. Além disso, vemos que o Movimento de Resistência Islâmica, "Hamas", representa os interesses de uma elite pequena e exclusiva, enquanto as táticas individuais de ataque controladas pelo Hamas colocam a resistência em mãos exclusivas.

Acreditamos na inevitabilidade de um movimento de resistência unido e inclusivo por todos os estratos das massas palestinas para acabar com a ocupação, para a autodeterminação nacional e os direitos democráticos nas ruas, nas escolas, universidades, fábricas e locais de trabalho. Essa luta de massa unida e inclusiva deve ser conduzida pela unidade, organização coletiva, coordenação e solidariedade entre a classe trabalhadora, os oprimidos e os jovens. Para isso, eles precisam de um novo partido revolucionário com um claro programa socialista que possa derrubar o sionismo. Enquanto isso, o proletariado israelense tem que abandonar o sionismo, desistir dos privilégios alcançados às custas dos palestinos ocupados e oprimidos, reconhecer o direito do povo palestino à autodeterminação e juntar-se à luta antissionista ao lado dos palestinos para se libertarem.

Paralelamente, a luta palestina pela libertação é indivisível da luta pela liberdade e pela democracia no contexto regional mais amplo. Assim como os países imperialistas apoiam o Estado de Israel com armas e finanças, eles também endossam e arrastam regimes ditadores que atendem seus interesses, de Erdogan na Turquia, o regime militar de Al-Sisi no Egito, à Monarquia Al-Saud na Arábia Saudita. Apenas uma região livre da ajuda imperialista, bases da OTAN e corporações capitalistas pode ser libertada.

Os estados imperialistas soam com uma "solução de dois estados", em que um mini-estado palestino sitiado geograficamente enfrenta um Estado nuclear de armas altamente armado com seu livre acesso ao mar, ao espaço aéreo e à terra. Nós não acreditamos que uma solução de dois estados irá recuperar a liberdade e a soberania para o povo palestino. Em vez disso, defendemos um estado multiétnico, inclusivo, secular e socialista, onde a nacionalização e o controle democrático da produção, finanças e comércio possam garantir o direito de retorno de milhões de refugiados palestinos para suas terras para viver em condições de justiça, liberdade, e igualdade social.

Estamos aqui para anunciar nossa solidariedade com suas lutas e oferecer-lhes a mão! Vamos discutir maneiras, métodos e programas para a libertação da Palestina e a construção de uma nova Internacional da Juventude. Avancemos a cooperação internacional de nossas organizações! Viva a solidariedade internacional!

REVOLUTION

Organização Internacional da Juventude Comunista - Alemanha 
Website: 
http://onesolutionrevolution.de/

 

Traduzido por Liga Socialista em 25/10/2017