Novembro, mês da Consciência Negra!

09/11/2017 20:33

Novembro é o mês da Consciência Negra e mais especificamente o dia 20 de novembro que é a data da morte de Zumbi, o grande líder negro do Quilombo dos Palmares. Essa data foi escolhida para simbolizar a luta do negro contra a escravidão.

Para nós, negros, essa data, essa semana, esse mês, não representam comemorações e abraços. O mês de novembro, para nós, representa um mês de mobilizações, debates, apresentações artísticas e culturais, enfim, um mês de conscientização da população negra, sobre sua condição social e os problemas que ainda enfrenta na sociedade brasileira e as lutas que devem ser travadas para sua verdadeira libertação.

Não podemos deixar que o debate racial seja apagado na sociedade. Esse debate deve ser incentivado e aberto nas escolas, nos bairros, sindicatos, igrejas etc. Temos que levar adiante a divulgação e o debate sobre o genocídio da população negra no Brasil, principalmente dos jovens. Os índices de homicídios têm aumentado assustadoramente. A própria política do governo Temer, que tomou o poder através de um golpe, tem aprofundado esse ataque. Podemos ver isso, por exemplo, nos ataques às terras de quilombolas e até mesmo na utilização das Forças Armadas no cerco às favelas, onde militares do exército, juntamente com a Polícia Militar, adentram nas favelas agredindo, torturando e executando, utilizando como pretexto o combate ao tráfico de drogas. Uma prática que já é comum na Polícia Militar e vem de longa data. Somente agora, com a mídia alternativa, esses ataques têm sido mais divulgados pelos meios de comunicação. A novidade é a entrada das Forças Armadas nesse quadro horripilante.

Os números oficiais colocam os negros entre os que são mais pobres e que mais morrem no país. Podemos incluir também que os negros compõem a grande maioria da população carcerária.

Como consequência do golpe político no Brasil, uma triste realidade é que a intolerância e o ódio estão sendo destilados cada vez mais. Nisso, vemos a questão do preconceito racial aumentado a passos largos e causando muito espanto.

Outro dado importante é que a população negra no Brasil vem crescendo e uma causa disso é o crescimento da conscientização do povo negro apesar da persistência da prática racista existente em nossa sociedade.

Pelos números da Pesquisa Nacional do IBGE, entre 2006 e 2007 a participação de brasileiros que se consideravam pretos ou pardos superou a de brancos pela primeira vez. Número que continuou crescendo. Em 2014, o número dos que se dizem brancos era de 45,5%, e negros, de 53,6%. Isso significa que mais de 100 milhões de brasileiros são negros, ou seja, o Brasil possui a maior população negra do mundo, conforme demonstra o gráfico do IBGE.

A representatividade da população negra no Sistema Prisional é o inverso da mesma no Congresso Nacional. E isso não é apenas coincidência. Em toda a sociedade é assim, no trabalho por exemplo, os negros ocupam em sua maioria os piores cargos e com menores salários. E quando se trata das mulheres negras a situação é pior ainda, demonstrando que estamos em uma sociedade machista e racista.

Temos várias organizações da população negra que têm grande importância na conscientização, mobilização e organização dos negros no Brasil. Entre essas podemos citar algumas como exemplo: Movimento Negro Brasileiro, MNU – Movimento Negro Unificado, ENEGRECER – Coletivo Nacional de Juventude Negra, FNMN – Fórum Nacional de Mulheres Negras, FONAJUNE – Fórum Nacional de Juventude Negra, UNEGRO – União de Negros pela Igualdade, Rede Afro LGBT, CONEN – Coordenação Nacional de Entidades Negras, CONAQ – Coordenação Nacional das Comunidades Quilombolas, dentre outras.

A Liga Socialista deixa claro sua posição política de combate ao racismo e ao capitalismo. Para nós, o capitalismo e o racismo são duas faces da mesma moeda. O racismo leva a uma exploração e repressão maior de uma grande parcela da sociedade, que em nosso caso é de mais de 53% da população. Para o capitalismo, quanto maior for essa prática, maior será a exploração sobre a classe trabalhadora, principalmente sobre os trabalhadores negros, aumentando ainda mais os lucros acumulados pelos capitalistas.

Portanto, a luta contra o capitalismo e por uma sociedade justa, igualitária e democrática, uma sociedade socialista, passa também por uma luta contra o racismo. Para isso, é necessário que a população negra se organize e discuta sua participação organizada na luta de classes, para que ao atingirmos a revolução socialista, esse novo estado não seja construído com a mesma prática racista do estado capitalista.

  • NÃO AO GENOCÍDIO DA POPULAÇÃO NEGRA!
  • NÃO À AÇÃO CRIMINOSA DA POLÍCIA NAS FAVELAS!
  • UNIDADE NA LUTA CONTRA O CAPITALISMO E CONTRA O RACISMO!
  • UNIDADE CONTRA O RETROCESSO E CONTRA O GOLPE!
  • FORA TEMER!