A única saída para a classe trabalhadora é a luta!

28/04/2019 19:31

Pela primeira vez o ato de 1º de Maio está unificado e as centrais sindicais já anunciam os próximos passos da luta contra a Reforma da Previdência. Segundo a CUT, além da defesa do direito à aposentadoria, está na pauta a luta pelos direitos trabalhistas, por emprego, direitos sociais, democracia, soberania nacional e a defesa de uma proposta de reforma Tributária que assegure justiça social na arrecadação de impostos. Vagner Freitas, presidente nacional da CUT, afirmou que «a unidade dos trabalhadores é fundamental para enfrentar os ataques da classe patronal e do governo de extrema direita de Jair Bolsonaro (PSL)».

Com certeza esse 1º de Maio é o marco do início de grandes mobilizações no país, que serão fundamentais para a construção da GREVE GERAL. As ruas devem ser ocupadas, as fábricas, o transporte público, as escolas etc, devem parar. O país tem que tremer, mas essa reforma não pode passar.

Na conjuntura atual, em que os direitos da classe trabalhadora conquistados com décadas de luta estão sendo atacados vorazmente pela classe dominante, a única saída para a classe trabalhadora é a luta. Não podemos ficar esperando por uma saída parlamentar que impeça esses ataques, pois a grande maioria do Congresso Nacional está comprometida com a classe dominante, ou seja, com os empresários, banqueiros e agronegócio.

O governo golpista de Temer (MDB), iniciou o desmonte da nação e o ataque à classe trabalhadora com o congelamento das verbas para os serviços públicos por 20 anos e a famigerada Reforma Trabalhista, que jogou no lixo a CLT e ao contrário do que dizia, aumentou ainda mais o desemprego que já atinge 14% dos trabalhadores. O governo do fascista Bolsonaro (PSL), além de entregar nossas riquezas ao imperialismo, ataca nossos direitos com a Reforma da Previdência, que traz em seu bojo o modelo de capitalização. Esse modelo é o mesmo que foi imposto no Chile pelo ditador general Pinochet em 1981. Hoje, mais da metade dos aposentados recebem meio salário mínimo. Não é à toa que o Chile bateu o terrível recorde de suicídio de idosos com mais de 80 anos.

Nossa única saída é a luta! Vamos seguir junto com as centrais sindicais, com a Frente Brasil Popular e a Frente Povo Sem Medo na construção de uma GREVE GERAL impedindo assim a destruição da Previdência pública e solidária. Como diz a canção, “Façamos nós por nossas mãos tudo o que a nós nos diz respeito”.

  • Viva a luta da classe trabalhadora!
  • Contra a Reforma da Previdência!
  • Nenhum direito a menos!
  • Greve Geral!