30 de maio - estamos preparados para a greve geral

31/05/2019 14:06

O dia 30 de maio, convocado pela União Nacional dos Estudantes (UNE), a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) e a Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG) e com amplo apoio das centrais sindicais, confederações e sindicatos de professores em todo o país, mostrou que o país não aceita os ataques contra a educação e contra a previdência que foram disparados pelo governo Bolsonaro (PSL).

O país está mobilizado e os trabalhadores e estudantes estão unificados na luta contra esses ataques. Assim, o dia 30 deixou claro que o movimento está crescendo e que a greve geral convocada para o dia 14/06 será a maior das últimas décadas.

Como aconteceu no dia 15, a juventude voltou a ocupar as ruas do país em defesa da educação pública e gratuita. Na maioria dos lugares, os professores aderiram ao ato que tomou as ruas do país e com palavras de ordem convocavam os trabalhadores para a greve geral do dia 14.

Essa foi a resposta mais acertada e imediata aos bolsonaristas que no dia 26/05 foram às ruas, em número bem menor, defendendo a reforma da previdência e o corte de verbas na educação.

Nas capitais e grandes cidades do país o dia 30 ficou marcado por grandes mobilizações com a participação de centenas de milhares de jovens e trabalhadores. Mas não foi apenas isso, o movimento está crescente e alcançando pequenas cidades, o que significa que ele está se espalhando inclusive pelo interior do país. Em todo o país o número de participantes foi menor que o ato do dia 15, mas ainda assim demonstrou uma grande capacidade de mobilização com cerca de um milhão de participantes em todo o país.

Para nós, a unidade está se consolidando a passos largos. A juventude e a classe trabalhadora estão unificadas na luta contra a reforma da previdência e contra os cortes de verbas na educação.

Precisamos agora inserir mais algumas pautas nessa luta, como por exemplo, contra as privatizações e o entreguismo do governo Bolsonaro. Assim, essa unidade rapidamente se transformará em um grande movimento de resistência a qualquer tipo de ataque desse governo fascista.

Vamos à luta! Dia 14 de junho vamos fazer uma estrondosa Greve Geral. O país vai tremer, mas esses ataques não passarão!

 

  • Contra a reforma da previdência!
  • Contra o corte de verbas na educação!
  • Contra as privatizações!
  • Contra o entreguismo!