O preço do golpe

29/03/2019 23:06

A incompetência de Bolsonaro e a trama do golpe parlamentar contra Dilma Rousseff para destruir a previdência dos trabalhadores.

 

O apelido "Dilma de saias" que a elite deu a Bolsonaro é realmente sintomático: a presidenta não fez a Reforma nos moldes e tempo que a elite exigia e ainda exige. O Mercado tem pressa em abocanhar o volume de dinheiro da previdência. Por isto Dilma foi derrubada num golpe parlamentar sofrendo uma violência sem precedentes na história do país. Violência praticada sob holofotes, principalmente por Bolsonaro, que invocou o general facínora Ustra, o torturador de Dilma durante o nojento voto contra a presidenta. 

Agora, diante da inoperância em cumprir o acordo com a burguesia Bolsonaro está sob ameaça de ser derrubado também. Soma-se a sua incompetência em articular os votos para a aprovação da “nova previdência”, como é chamada pelo governo. Um projeto que destrói toda a previdência dos trabalhadores, nos moldes atuais, pública e solidária. A nova proposta é bem mais perversa que a proposta de Temer. As perspectivas de futuro para os trabalhadores brasileiros são as mais nefastas com a proposta enviada ao Congresso pelo governo Bolsonaro. Nos moldes da previdência chilena adotada durante a ditadura de Pinochet, a proposta levará os trabalhadores idosos que conseguirem se aposentar a uma vida miserável, sem assistência digna após décadas de trabalho.

 A incompetência de Bolsonaro de “costurar” acordos no Congresso para aprovar a mudança na previdência, faz com que a burguesia, mostre a verdade dos fatos: não foi impeachment, não havia crimes contra Dilma. Foi golpe contra ela e contra a classe trabalhadora. Não há déficit na previdência. Está claro que querem nosso dinheiro, nosso futuro. O mercado de ações, bancos e seguradoras não podem mais esperar pra atacarem nossa previdência. Mais do que nunca temos que lutar contra a destruição da nossa previdência!

Construir a greve geral para barrar a proposta do governo e garantir nossa previdência pública e solidária. Nenhum direito a menos!

Todas e todos trabalhadores estão convocados para lutar contra esse ataque.

Pela manutenção da previdência pública e solidária.

Não a destruição da nossa Previdência!

 

Por Rachel Silva