Paquistão: solidariedade com a organização de estudantes do Baloch!

08/12/2018 22:49

League for the Fifth International Fri, 07/12/2018 - 11:39

                   

Liberdade para Jiand Baloch, Zareef Rind, Changaiz Baloch e Aurangzaib Baloch!

 

Na tarde de 5 de dezembro, três estudantes ativistas; Zareef Rind, Changaiz Baloch e Aurangzaib Baloch desapareceram. Eles foram vistos pela última vez em um protesto pela libertação de Jiand Baloch, o Secretário Adjunto das Organizações de Estudantes do Baloch, seu pai, Abdul Qayyum Baloch, e seu irmão de dez anos, Hasnain Baloch, no mesmo dia em Quetta, capital do Balochistão. Este sequestro criminoso de toda a liderança remanescente da Organização dos Estudantes de Baloch evidencia claramente todas as características do serviço secreto do governo (ISI).

Zareef, Chaingaiz, Aurangzaib, Jiand, Abdul e Hasnain, esses nomes estão enraizados em nossa consciência. Seus nomes representam as mulheres corajosas, homens e crianças que se levantaram contra a injustiça no passado, uma injustiça que custou a vida de cerca de 20.000 pessoas Baloch.

A prática de desaparecimentos no Paquistão não se destina apenas a intimidar e amedrontar os indivíduos. É uma tentativa de sufocar as faíscas de resistência a um sistema injusto no qual os jovens, as mulheres, os trabalhadores, os camponeses e os oprimidos não têm nada a perder, mas tudo para ganhar. A prática dos desaparecimentos é projetada não apenas para roubar de movimentos os nossos líderes mais corajosos. O Estado paquistanês e as classes dominantes sabem muito bem que não podem permitir julgamentos injustos, mas sim públicos, aos que lutam por justiça. Cada julgamento, qualquer que seja a sentença do tribunal, teria o potencial de colocar as elites no banco dos réus. A opressão, a exploração e a injustiça são tão cruéis que o Estado simplesmente não pode correr o risco de julgamentos ou execuções públicas contra aqueles que se manifestam contra isso. Precisa fazê-los “desaparecer” na esperança de que sua luta, o mundo que eles representam, desapareçam, sejam esquecidos.

Não cometa erros. Essas atrocidades certamente atingiram o povo balúchi, especialmente, mas esses crimes são infligidos à grande massa do povo do Paquistão. A arrogância, o desdém e o medo oculto que as classes altas do Paquistão sentem em relação a estudantes como Jiand Baloch, do Balochistão, são o que eles também sentem em relação a um pobre operário de fábrica do Punjab. Todos que olham para a sociedade paquistanesa objetivamente, e não pela lente distorcida do preconceito ideológico, sabem que isso é verdade.

O que o Estado paquistanês, o que os militares e os ricos temem mais que uma revolta no Balochistão, um movimento por justiça em Khyber Pakhtunkhwa, uma luta camponesa em Sindh, um movimento grevista em Faisalabad ou um protesto feminino em Lahore, é a perspectiva clara que tal visão oferece. Eles temem que isso conduza a uma compreensão mais profunda e à consciência da solidariedade mútua que derruba os muros do chauvinismo e os preconceitos religiosos, nacionalistas e patriarcais que as elites paquistanesas ergueram cuidadosamente nos últimos 70 anos.

A semana passada viu um pico de solidariedade dentro do Paquistão, exigindo a libertação de Jiand Baloch. Uma confraternização que ia além das limitações da etnia. Pode bem ter sido exatamente isso que amedrontou o Inter Service Intelligence (ISI), e levou-o a sequestrar Zareef, Chaingaiz, Aurangzaib. Nós não sabemos.

O que sabemos é que esse apelo à solidariedade já está ecoando internacionalmente, as organizações de trabalhadores começaram a responder. Mais proeminentemente, o socialista e membro do parlamento alemão, Ulla Jelpke, no dia 5 de dezembro. E nós nos comprometemos a estender essa solidariedade e aprofundá-la internacionalmente.

O Estado paquistanês está equivocado se acha que seus "desaparecimentos" podem nos impedir. Nada e ninguém pode impedir a solidariedade internacional verdadeira e honesta da classe trabalhadora. Hoje, todos somos chamados Zareef, Chaingaiz, Aurangzaib, Jiand, Abdul e Hasnain. Seus nomes estão arraigados em nossa consciência, e sua luta por um mundo melhor pulsa em nossas veias também.

Zareef, Chaingaiz, Aurangzaib, Jiand, Abdul e Hasnain precisam ser resgatados imediatamente. E todas as outras pessoas desaparecidas também. Pedimos investigações públicas sobre aqueles que executaram o crime de sequestro extrajudicial e que realizaram assassinatos em silêncio no passado. Todas essas práticas precisam ser interrompidas imediatamente e proibidas sob a punição mais severa no futuro.

 

Traduzido por Liga Socialista em 8/12/2018