Paquistão: Três líderes estudantis libertados, agora libertem todos os sequestrados!

05/01/2019 23:43

League for the Fifth International Sat, 05/01/2019

Em 3 de janeiro, membros da Organização dos Estudantes do Balochistão (BSO) e as famílias de Zareef Rind, Changez Baloch e Aurangzaib Baloch puderam respirar aliviados, enquanto os três líderes da BSO foram libertados vivos após um mês de sequestro forçado, criminoso e não oficial, pelo serviço secreto. O mês passado viu uma onda de solidariedade depois que Zareef, Changez e Aurangzaib desapareceram após um protesto em Quetta. Esta vitória pertence unicamente aos esquerdistas e aos movimentos sociais e operários que defenderam esses corajosos estudantes ativistas. O protesto em Quetta, em 5 de dezembro, foi realizado em apoio ao companheiro Jiand Baloch, desaparecido uma semana antes em 30 de novembro, junto com seu irmão de 10 anos, Husnain, e seu pai, Abdul Qayyum.

Claro que não posso ir ao serviço secreto paquistanês para libertar aqueles que foram sequestrados e pelo menos mentalmente torturados por um mês, unicamente porque eles falaram em nome de um camarada desaparecido, e os milhares de outros desaparecidos desde o início dos anos 2000. Graças ao Paquistan Tehreek-e-Insaf, PTI, que lidera o governo de Imran Khan. O manifesto “Naya Paquistan” prometido pelo PTI não é claro sobre a concessão de direitos democráticos. Os ministérios do governo têm mantido silêncio sobre os crimes cometidos pelo serviço secreto, se eles não os ordenaram. Não houve sinal de nenhum protesto da esmagadora maioria da sociedade burguesa, por seus tribunais, meios de comunicação e intelectuais liberais. A Assembleia Nacional também manteve seu silêncio, incluindo os parlamentares burgueses que ocupam seus assentos no Balochistão. Isso deixa claro que não podemos depositar confiança nem esperança nessas instituições “altas” e representantes da sociedade burguesa. Eles estão todos intrinsecamente conectados com a classe dominante e seu estado.

Não foi surpresa para ninguém que o apoio dos membros da Assembleia Nacional tenha vindo principalmente de esquerdistas como Mohsin Dawar e Ali Wazir, que estão associados com o Movimento Pashtun Tahaffuz, PTM, e Manzoor Pashteen, que foi negado o direito de participar do protesto em curso em Quetta. Eles responderam ao pedido de solidariedade, apesar de terem sido ameaçados pelos militares em meados de dezembro. Os militares entraram em ação por causa de seu ativismo em apoiar os direitos democráticos do povo pashtun e o processo de cristalização política que encorajou os paquistaneses em todo o país a se tornarem ativistas. Com toda a sinceridade, também temos que registrar que, com poucas exceções, muitas organizações socialistas no Paquistão não se manifestaram. O socialismo deles não é mesmo pelo qual luta a Liga pela Quinta Internacional.

Hoje celebramos a libertação de Zareef, Aurangzaib e Changez. Mas não se deve esquecer que no mesmo dia em que os três foram libertados vivos, um quarto foi encontrado morto. Foi o cadáver de Ilahi Bakhsh que foi encontrado perto de Hub. Ilahi foi sequestrado há três anos durante um ataque militar em sua cidade natal, e representa os milhares de sequestrados cujos corpos só foram devolvidos muito tempo depois de seus nomes terem desaparecido da consciência pública. Jiand Baloch, Abdul Qayum Baloch e Husnain Baloch ainda estão desaparecidos, assim como muitos outros.

De fato, desde que o governo de Imran Khan chegou ao poder em agosto, o número de sequestros diários aumentou. Agora as pessoas, às vezes várias por dia, desaparecem regularmente. Muitos desaparecem no Balochistão, mas o povo de Sindh, Khyber Pakhtunkhwa e hoje em dia até mesmo o Punjab, não são poupados. Embora este seja certamente um desenvolvimento muito assustador, devemos também lembrar que é um sintoma da instabilidade na sociedade paquistanesa. A classe dominante paquistanesa está obviamente com medo do caos e da crise que criou, tanto no nível econômico quanto no político. Tem medo dos movimentos sociais e da reorganização política que isso poderia gerar. Por isso, tenta eliminar toda centelha de discordância.

O governo e o estado tornam-se cada vez mais autoritários, tentando até mesmo reprimir diferentes facções políticas da classe dominante, como pode ser visto nos casos pendentes de corrupção contra os líderes da PML-N ou da PPP. Embora devamos estar cientes dessas contradições e fazer bom uso delas na construção da resistência social, essas forças políticas nunca poderão ser nossas aliadas. Como poderiam ser, especialmente para o povo oprimido do Balochistão, considerando que eles dispersaram todos os governos locais que se atreveram a implementar até mesmo os direitos democráticos burgueses mais básicos? Quando Bilawal Bhutto se considera agora o defensor da democracia, ele não o faz para defender as pessoas que são realmente atingidas pela repressão. Ele faz isso para reunir apoio popular em face de acusações de corrupção contra seu pai, Asif Ali Zardari. Todo o grupo de políticos burgueses corruptos não pode ser um aliado para nós. Seu interesse não é a liberação, mas a consolidação de seu próprio poder contra as outras facções opostas de latifundiários e industriais.

Esperamos que as mobilizações desde o sumiço de Jiand Baloch tenham fortalecido os laços de solidariedade entre os camaradas da BSO. Tempos difíceis colocam cada movimento sob imensa pressão, mas também podem ser o melhor professor para desenvolver a política e a organização que trarão a libertação amanhã. Tal organização é necessária hoje mais do que nunca. O movimento social e político dos oprimidos precisa ser revitalizado.

Também devemos agradecer aos partidos socialistas e de esquerda que deram seu apoio aos camaradas da BSO. Esperamos contribuir para a criação de laços mais fortes de solidariedade internacional entre as organizações de esquerda e os movimentos de jovens e mulheres dos trabalhadores paquistaneses.

Agora, como a crise econômica e política está se aprofundando, o que é urgentemente necessário é um partido socialista revolucionário que aprofunde fortes raízes na classe trabalhadora, bem como entre o povo das províncias nacionalmente oprimidas. O ressurgimento de ideias socialistas entre muitos estudantes é um vislumbre de esperança nesse sentido, e estamos ansiosos para trabalhar com os camaradas da Organização dos Estudantes de Baloch e com todos os que desejam desenvolver isso no futuro. Uma tarefa central nisso será lutar pela rápida liberação de Jiand, Abdul, Husnain e todas as outras pessoas desaparecidas!

 

Traduzido pela Liga Socialista em 05/01/2019